Imagem com chamada para Você sabe o que é logística reversa de bijoux?

O que é logística reversa?

Você gosta de bijoux? Consegue imaginar a logística reversa aplicada a produção desses itens e a importância que ela tem?

Qual a importância de pensar na logística reversa quando escolhemos produtos?

A logística reversa visa a auxiliar na resolução de problemas com a destinação dos resíduos do processo de produção, seguindo o fluxo antagônico, ou seja, iniciam no ponto de consumo (cliente), voltando para o fluxo produtivo. Ficou confuso? É simples: pense na reciclagem, embora não seja exatamente a mesma coisa. Mas estamos falando também de reaproveitar partes de produtos que seriam descartados para criar novos itens ou peças.

Qual a vantagem disso?

Ter produtos diferenciados, iniciar novos hábitos de consumo mais sustentáveis e conscientes, unindo beleza, conforto e funcionalidade e ainda reduzir o impacto do lixo que iria para o meio ambiente, sem necessidade.

Você pode nunca ter notado, mas mediante ao excesso da concorrência de marcas no mercado, o ciclo de vida dos produtos ficaram mais curtos. Os consumidores estão expostos a uma gama maior de produtos. Alguns nichos de mercado possuem produtos cujos preços de novos saem mais baratos do que consertá-los e, com isso, a geração de lixo aumentou consideravelmente.

Mas a boa notícia é que esse cenário tem uma gestão possível: alguns materiais podem retornar para sua cadeia inicial de suprimentos, como as latas de alumínio, ou serem integradas em outros processos de produção, como as garrafas PET que servem para a produção de fibras têxteis.

Canais de distribuições reversas

Quando uma empresa trabalha com logística reversa, como é o caso da Remimo Bijoux, ela tem alguns canais de distribuição. Há dois tipos: pós-consumo e pós-venda.

O canal de distribuição reversa de pós-consumo (CDR-PC) é caracterizado por itens que já tiveram sua vida útil finalizada e podem ser reaproveitados desde que estejam em boas condições, voltando para o mercado secundário. Já o canal de distribuição de pós-venda (CDR-PV) é caracterizado pelos problemas de performance como defeitos, validade e transporte, entre outros.

Canais de distribuição reversas de pós-consumo

Os itens de pós-consumo são aqueles que sua função primária já foi esgotada, ou seja, já não servem mais para comercialização, podendo ser chamado também de bem usado. Esses itens precisam ser avaliados e classificados antes de voltar à cadeia de distribuição. São classificados como:

  • Reuso: quando é possível ainda a utilização do produto ou parte dele (componentes) sem passar por nenhum processo de remanufatura;
  • Desmanche: quando ainda é possível a utilização do produto ou parte dele (componentes), mas há necessidade de uma revalorização, onde haverá a desmontagem do material e separação entre itens que podem ser remanufaturados ou que serão destinados à algum processo de reciclagem industrial;
  • Reciclagem: quando o produto pode ser transformado em novas matérias-primas para a construção de outro item distinto, ou como matéria-prima secundária para o mesmo tipo de item.

O descarte dos itens em que não há mais utilidade pode ser feita de forma segura (aterros controlados e regularizados) e de forma descontrolada (em lixões, rios, etc). Há três categorias de bens:

  • Descartáveis: o tempo de vida útil dessa categoria é de no máximo 6 meses. Alguns exemplos de bens descartáveis: papel higiênico, materiais de escritório, materiais de limpeza;
  • Duráveis: o tempo de vida útil dessa categoria pode ser de décadas. Alguns exemplos de bens duráveis: equipamentos industriais, carros, casa;
  • Semiduráveis: o tempo de vida dessa categoria pode ser de até dois anos. Alguns exemplos de bens semiduráveis: baterias de celulares, de carro.

Canais de distribuição reversas de pós-venda

Os itens de pós-vendas podem retornar à cadeia por diversos motivos, como segue a lista abaixo:

  • Excesso de estoque;
  • Recall;
  • Defeitos ou avarias;
  • Consertos

Esse canal exige certa atenção, uma vez que os motivos citados acima têm envolvimento direto com a linha de produção e a estratégia de vendas.

Canais de distribuição reversa de ciclos abertos e fechados

Parte dos produtos de pós-consumos serão inseridos novamente no fluxo de produção e os mesmos podem ter destinação para voltar ao seu próprio ciclo originário e até mesmo similar, ou ser destinado a um novo tipo de produto.

Canais de distribuição reversas de ciclo aberto

Para o ciclo aberto, independente do produto de origem, a matéria-prima é a principal fonte. Para este ciclo a utilização da matéria-prima será diferente da que teve no canal direto. Esse modelo é encontrado em abundância em países em que a população e empresas não estão tão conscientes da crise ambiental. Veja um exemplo abaixo:

 

Demonstração de canais de distribuição reversas de ciclo aberto
Adaptação de imagem do livro Logística reversa: meio ambiente e competitividade, de Paulo Roberto Leite.

 

Canais de distribuição reversas de ciclo fechado

O ciclo fechado se dá quando há aproveitamento máximo dos resíduos para a fabricação de um novo produto equivalente ao de origem. Esse modelo é muito aplicado em países com escassez de recursos naturais, para evitar a importação para a produção. Veja ilustração abaixo:

Demonstração de canais de distribuição reversas de ciclo fechado
Adaptação de imagem do livro Logística reversa: meio ambiente e competitividade, de Paulo Roberto Leite.

 

Logística reversa aplicada ao segmento de bijoux

Uma bijoux quando chega ao fim da sua vida útil acaba sendo descartada junto ao lixo comum, sem separação apropriada para reciclagem, inclusive por ter muitos tipos de matérias-primas, como por exemplo, pedras feitas de vidro, metais e plásticos. Cada tipo de resíduo tem um tempo diferente de decomposição e em contato com o meio ambiente os danos podem ser levados por longos anos. Por mais que o segmento movimente milhões em vendas no mundo todo, há ausência de importância com o descarte desse tipo de produto. 

Ao estudarmos mais sobre o assunto, começamos a perceber que sempre que fazíamos uma venda éramos questionadas se gostaríamos de receber peças usadas ou quebradas para que os resíduos dessas peças fossem reutilizados caso tivessem condições. Fizemos um teste de desmontar uma peça quebrada e tentamos agregar as peças na criação de uma nova e o resultado foi positivo. A partir deste momento começamos a receber os descartes de peças sem uso e incorporar as peças desmontadas na criação de novas. 

O nosso trabalho na Remimo Bijoux pode ser entendido como uma modalidade de logística reversa de pós-consumo, tanto de ciclo aberto quanto de ciclo fechado. Vamos ver como seria na nossa realidade?

 

Demonstração de canais de distribuição reversas de ciclo aberto na Remimo Bijoux
Adaptação de imagem do livro Logística reversa: meio ambiente e competitividade, de Paulo Roberto Leite.

 

Demonstração de canais de distribuição reversas de ciclo fechado na Remimo Bijoux
Adaptação de imagem do livro Logística reversa: meio ambiente e competitividade, de Paulo Roberto Leite.

 

Isso nos permite criar peças únicas e criativas, além de prorrogar a vida útil das matérias-primas que já gastaram diversos recursos para serem produzidas.  

E como é todo o processo da logistica reversa de bijoux na Remimo?

Dá uma olhada como funciona o nosso processo de produção, desde a coleta das bijoux que seriam descartadas em lixo comum: 

Demonstração do processo de produção completo da Remimo Bijoux
Demonstração do processo de produção completo da Remimo Bijoux

 

Gostou de saber um pouco mais sobre logística reversa? Dê sua opinião sobre o post e não deixe de visitar a loja e ver os resultados da nossa logística reversa em bijoux. 

Aproveite também para visitar nossas redes sociais: Facebook, Instagram e LinkedIn.

Daniele Trugillo

Fundadora da Remimo Bijoux

 

Comentario (1)
Como as bijuterias surgiram? Você já sabe? - Remimo Bijoux
23 de janeiro de 2020

[…] Nos dias atuais, o mercado de bijuterias ofertam muita diversidade de estilos e muitas marcas aderiram conceitos em suas produções, sem contar com as marcas que reutilizam materiais que em suas vidas úteis iniciais não eram acessórios, o que chamamos de logística reversa de pós-consumo de ciclo aberto (veja mais sobre este conceito). […]

Deixar um comentario