Garota de cabelos negros perto de uma árvore, usando brincos verdes. Chamada para conhecer como surgiram as bijuterias.

Como as bijuterias surgiram? Você já sabe?

Você gosta de acessórios, está sempre em busca de novidades no mercado, mas ainda não sabe como as bijuterias surgiram? Não se preocupe, hoje vamos trazer curiosidades sobre o tema.

O princípio 

Desde os primórdios (ou seja, desde os tempos antigos, bem antes de você pensar em entrar naquela lojinha para comprar a sua ou ter uma vasta lista de opções a um clique) podemos identificar adornos utilizados por homens e mulheres, que eram considerados como objetos de proteção espiritual ou para simbolizar o poder.

As primeiras matérias-primas eram singelas e vindas da natureza, como penas, sementes, ossos entre outros. Atualmente, algumas tribos ainda utilizam desses materiais para se enfeitar. Como podemos imaginar,  diversas civilizações contribuíram para a evolução das joias, como os egípcios, romanos, gregos entre outras.

Você imaginava que as bijuterias surgiram dessa forma?

 

A evolução

As joias passaram por diversas mudanças, desde a antiguidade, passando pelos períodos de renascimento, neoclássico, romantismo até chegar nos dias atuais.

Com isso, foram ganhando sofisticação e agregando gemas e metais preciosos, porém, com a Crise de 1929 esse setor também foi afetado e foi necessário buscar alternativas que continuassem a atender o público, porém, com matérias-primas não tão nobres.

Alguns autores utilizam o termo “joia de imitação”, outros preferem a denominação vinda da palavra francesa bijouteire.

E quem não se recorda da cantora Carmen Miranda? Na década de 40 no Brasil, ela chamava atenção com adornos grandes e de diferentes tipos de materiais.

A estilista francesa Gabrielle Bonheur Chanel (1883-1971), também conhecida como Coco Chanel, foi a precursora das bijuterias que eram caracterizada pela produção de acessórios com materiais mais acessíveis e menos raros, em consequência, menos duráveis, quebrando o paradigma de o luxo estar diretamente ligado à ostentação do valor material.

Desde 1920 as joias industrializadas começaram a ser produzidas utilizando materiais sintetizados industriais. Metais como níquel e cromo são utilizados para remeter à imagem da joalheria preciosa.

Os anos pós-guerra afetaram a ourivesaria, pois houve uma rivalidade com os produtores das joias de imitação.

Jovens almejavam mudanças e se manifestavam em movimentos sociais que de tão influentes tornaram não somente estilo de vida como também grande influência no setor de bijuterias.

Houve alterações de qualidade e preços com o passar dos anos, instigando o interesse pelos adornos femininos.

Atualidade

Nos dias atuais, o mercado de bijuterias ofertam muita diversidade de estilos e muitas marcas aderiram conceitos em suas produções, sem contar com as marcas que reutilizam materiais que em suas vidas úteis iniciais não eram acessórios, o que chamamos de logística reversa de pós-consumo de ciclo aberto (veja mais sobre este conceito).

Aqui na Remimo, por exemplo, nós usamos caixa de ovos e rolo de papel higiênico. Se você quiser saber um pouco mais como as bijuterias surgiram no destino da Remimo, confira neste post. 😉

As bijuterias se tornaram peças indispensáveis para compor o estilo das pessoas e os clientes, cada vez mais exigentes e conectados a tendências, buscam peças inovadoras e com características que representem suas filosofias de vida. 

Gostou? Quer conhecer um pouco mais sobre as peças que produzimos? Elas esbanjam criatividade e são peças únicas, assim como cada um de nós somos.

Acesse nossa loja virtual e nos acompanhe nas redes sociais: Facebook, Instagram e LinkedIn. 🙂

 

Daniele Trugillo

Fundadora da Remimo Bijoux

Deixar um comentario